Quais cuidados tomar na hora de escolher quadros decorativos?

Por 20 de junho de 2018Sem categoria
quadros decorativos

Quadros decorativos são componentes muito importantes da decoração de uma casa. Logo, é essencial acertar na escolha deles. Imagine como é visualmente desagradável, por exemplo, ter quadros decorativos totalmente desarmônicos em relação ao restante da decoração. É claro que o gosto do proprietário da casa deve ser levado em consideração. Porém, devem ser adotados alguns cuidados para que não sejam escolhidas peças que não combinam com o ambiente em geral.

Desse modo, o nosso artigo de hoje destacará os principais cuidados a serem tomados na hora de escolher quadros decorativos. Confira cada um deles atentamente e veja como acertar na escolha dos quadros para a sua residência!

 

Levar em conta o que está na parte de baixo da parede onde o quadro vai ficar

Um cuidado essencial na hora de escolher quadros decorativos é levar em conta os itens que estão na parte de baixo da parede onde eles serão colocados. Se você vai comprar um quadro para pendurar em uma parede na qual existe um sofá encostado, por exemplo, é necessário analisar aspectos como a maneira como o sofá está colocado no ambiente, qual é a altura do encosto dele e qual será a distância entre esses dois itens.

Sobre esse último ponto, é interessante ressaltar que, caso fique uma distância muito grande entre o sofá e o quadro, ficará a impressão de que o quadro está totalmente avulso, de que ele não está incorporado ao restante do ambiente.

A mesma situação acontece quando existe um aparador abaixo do quadro. Se a distância entre eles for maior do que 30 centímetros, o quadro ficará meio perdido/isolado. Por isso, é crucial colocá-lo de maneira harmônica em relação aos outros itens, acomodando-o adequadamente no ambiente.

Lembrando que, mesmo quando os quadros decorativos forem colocados em paredes que não têm móveis, é importante se atentar ao posicionamento. Se for uma parede destinada exclusivamente à colocação de quadros, estes devem preenchê-la de maneira proporcional. É importante, por exemplo, que as partes dessa parede que ficarão expostas sejam proporcionais ao tamanho dos quadros.

Atentar-se para a largura dos quadros decorativos

Equívocos em relação à largura do quadro são muito comuns. Por exemplo, se ele vai ficar em uma parede na qual tem um sofá padrão (de 2,10 a 2,30 metros) encostado, a largura do quadro não deve ser muito menor que isso. O ideal é que, embora seja um pouco menor que o sofá, o quadro tenha proporções aproximadas. Isso é importante para evitar que ele fique muito pequeno em relação ao sofá, o que geraria certa desarmonia.

Se não for possível usar um quadro de uma largura aproximada a do sofá, pode-se usar dípticos ou trípticos, que são composições de dois e três quadros decorativos, respectivamente. Fazendo isso adequadamente, a parede também fica com uma boa harmonia.

Dar atenção especial a composições de quadros decorativos com características distintas

Algo que tem tudo a ver com a questão mencionada acima e que está em alta ultimamente é a utilização de composições de quadros com formatos, tamanhos e estilos diferentes. Porém, nesse caso, é necessário que haja uma atenção especial. Há inclusive um trabalho maior por parte do arquiteto para que essas composições fiquem harmônicas. No entanto, de fato, quando isso acontece, o ambiente fica muito bonito e contemporâneo.

Vale destacar que a composição de quadros decorativos com características diferentes fica melhor em paredes grandes. Isso possibilita que o arquiteto brinque bastante com o uso de obras com tamanhos variados. Lembrando que também existe a composição de quadros iguais, geralmente, pequenos, que são colocados lado a lado sem que fique espaço entre as molduras. É mais uma alternativa bem interessante.

Adequar as cores e o estilo do quadro ao restante do ambiente

Uma boa escolha de quadros decorativos passa pela harmonia do estilo e das cores deles com o restante do ambiente. É claro que isso tem muito a ver com o gosto do proprietário da casa. Porém, para gerar uma composição agradável, é interessante adequar os quadros aos outros elementos.

Nesse sentido, talvez seja interessante deixar para escolhê-los por último. Assim, com base nos outros itens (sofás, poltronas, cortinas, tapetes…), opta-se pelos quadros que melhor se encaixem ao ambiente. Se já existe a predominância de elementos com personalidade mais forte (estampas, listas…), é interessante escolher uma obra de cores mais neutras, como uma fotografia em preto e branco. Por outro lado, se o ambiente é composto por itens de cores neutras, pode-se optar por um quadro mais colorido.

No caso de um ambiente mais neutro, existe também a possibilidade de usar quadros decorativos também com cores neutras, mas com a moldura de uma cor diferente. Isso gera um destaque interessante e dá mais vida ao local. De qualquer forma, o que mais importa é a harmonia entre todos os elementos.

Conclusão

Adotando os cuidados mencionados, qualquer pessoa consegue escolher ótimos quadros para compor a sua decoração. Porém, lembre-se de que, além disso, também é muito importante que cada um siga os seus gostos. Obviamente, com cautela, para evitar, por exemplo, a compra de quadros decorativos que não combinem em nada com os outros elementos. Até porque, um ambiente perfeitamente harmônico agrada a todo mundo.

Gostou do nosso conteúdo sobre os cuidados necessários na hora de escolher quadros? Então você também vai se interessar por este outro artigo que mostra como escolher os melhores tapetes para a sala de estar!

Deixe um comentário